<iframe src="//www.googletagmanager.com/ns.html?id=GTM-TV7W9T" height="0" width="0" style="display:none;visibility:hidden"></iframe>
Ressonância Magnética

O que é?

É um exame simples e não invasivo que consegue obter imagens de alta definição de todos os órgãos do corpo humano. O método se utiliza de um grande campo magnético para adquirir fotos das regiões de interesse.

Para que serve?

A ressonância magnética tem múltiplas aplicações na saúde, sendo útil para a maioria das especialidades médicas, incluindo as que se ocupam do sistema nervoso central, do sistema musculoesquelético, do coração, das regiões pélvica e abdominal e do sistema vascular.

Como é feita?

Após a pessoa ser adequadamente posicionada na mesa de exame, uma bobina de ressonância magnética é colocada em volta ou ao lado do local de interesse para amplificar o sinal e resultar em uma imagem de maior qualidade. Em seguida, a mesa desliza até o interior do equipamento, no qual existe uma espécie de ímã gigante que, por meio de ondas de radiofrequência, permite a obtenção das imagens num período, em média, de 20 minutos.

Durante esse período, um sistema de comunicação entre o aparelho e o console de operação possibilita um total acompanhamento do indivíduo pelo médico e pelo assistente que executam a ressonância. De qualquer modo, a pessoa fica de posse de uma campainha para esclarecer qualquer dúvida ou interromper o exame a qualquer momento. O procedimento não causa dor nem desconforto, embora seja menos tolerado por claustrofóbicos, que, assim, podem receber indicação de realizá-lo com sedação. Em algumas circunstâncias, há necessidade de contraste, não iodado, aplicado pela veia para realçar as possíveis alterações encontradas.

Fonte: Assessoria Médica Fleury