<iframe src="//www.googletagmanager.com/ns.html?id=GTM-TV7W9T" height="0" width="0" style="display:none;visibility:hidden">< />iframe>

Mitos e verdades sobre a glândula da tiroide

A tiroide​ é uma glândula que fica na base da região anterior do pescoço, que produz dois hormônios: a tri-iodotironina (T3) e a tiroxina (T4), ambos muito importantes em todas as fases da vida. Confira abaixo alguns mitos e verdades sobre a glândula.

Hipotiroidismo é muito comum.
VERDADEIRO: o hipotiroidismo é uma doença comum que afeta 8% a 12% dos brasileiros, principalmente mulheres e indivíduos mais idosos.

Crianças não têm doença da tiroide.
FALSO: crianças podem ter uma doença da tiroide, que pode levá-las a parar de crescer e a ir mal na escola. A forma mais grave de hipotiroidismo é a congênita, que ocorre no recém-nascido. Se não diagnosticado e não tratado, pode causar retardo mental irreversível.

Doenças da tiroide afetam a gravidez.
VERDADEIRO: tanto o hipertiroidismo quanto o hipotiroidismo, se não tratados adequadamente, podem levar a complicações na gestação tanto para a grávida quanto para o feto.

A obesidade pode ser causada pelo hipotiroidismo.
FALSO: o hipotiroidismo não tratado associa-se apenas a um ganho leve de peso, em geral por retenção de líquidos.

Tomar hormônio da tiroide ajuda a emagrecer.
FALSO: o hipertiroidismo realmente emagrece, mas à custa de massa magra, com diminuição de força muscular. Usar T4 ou, pior ainda, T3 pode causar arritmias, hipertensão, diarreia e outras manifestações muito graves, ou até fatais.

Posso saber se tenho problema na tiroide fazendo um exame de sangue.
VERDADEIRO: os exames para diagnóstico de alteração da função tiroidiana são as dosagens do TSH e da T4 livre. O médico pode ainda solicitar outros exames, se necessário.

O ultrassom de tiroide é importante para a detecção do nódulo e para que o médico possa avaliar precocemente a necessidade de tratamento cirúrgico ou acompanhamento clinico.
VERDADEIRO: O ultrassom de tiroide é o método de imagem de escolha para a detecção de nódulos suspeitos e auxiliam o médico na melhor decisão terapêutica.

O iodo faz bem para a tiroide.
FALSO: o iodo da alimentação geralmente é suficiente para produção dos hormônios tiroidianos em qualquer faixa etária. Em excesso, o iodo pode produzir sérios danos, inclusive piorar ou causar hipo ou hipertiroidismo.

O cansaço pode ser causado por hipotiroidismo.
VERDADEIRO: os principais sintomas do hipotiroidismo são sonolência excessiva, cansaço e falta de disposição, lentidão e dificuldade para exercer as tarefas e funções habituais, esquecimento fácil, tristeza, intestino preso, ressecamento da pele e dos cabelos, unhas fracas e ganho de peso inexplicável. Mas esses sintomas podem aparecer em muitas outras doenças.

A T3 (tri-iodotironina) é útil no tratamento de estresse, cansaço ou desânimo.
FALSO: não há indicação de uso de T3 nessas situações. Ela pode causar riscos à sua saúde.

A T3 (tri-iodotironina) pode ser formulada com segurança.
FALSO: a maioria das farmácias de manipulação não atinge alta precisão ao formular o hormônio em microgramas. Os hormônios formulados não estão sujeitos aos mesmos controles de qualidade dos medicamentos industrializados nem ao monitoramento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Deve-se tomar iodo durante a gestação.
FALSO: Alguns suplementos vitamínicos oferecidos as gestantes, contém pequenas quantidades de iodo, porém a indicação dessa suplementação deve ser individualmente avaliada pelo médico.

Bibliografia consultada:
Carvalho GA, Perez CL, Ward LS. The clinical use of thyroid function tests. Arq Bras Endocrinol Metabol. 2013 Apr;57(3):193-204.

Sgarbi JA, Teixeira PF, Maciel LM, Mazeto GM, Vaisman M, Montenegro Junior RM, et al.; Brazilian Society of Endocrinology and Metabolism. The Brazilian consensus for the clinical approach and treatment of subclinical hypothyroidism in adults: recommendations of the thyroid Department of the Brazilian Society of Endocrinology and Metabolism. Arq Bras Endocrinol Metabol. 2013 Apr;57(3):166-83.

Brenta G, Vaisman M, Sgarbi JA, Bergoglio LM, Andrada NC, Bravo PP, et al.; Task Force on Hypothyroidism of the Latin American Thyroid Society (LATS). Clinical practice guidelines for the management of hypothyroidism. Arq Bras Endocrinol Metabol. 2013 Jun;57(4):265-91.

Disclaimer: Este material foi reproduzido de uma parceria do Fleury com o SBEM - Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Confira o material na íntegra: http://www.tireoide.org.br/media/uploads/semana_da_tireoide_2018_correto.pdf​​