<iframe src="//www.googletagmanager.com/ns.html?id=GTM-TV7W9T" height="0" width="0" style="display:none;visibility:hidden">< />iframe>

Novo exame traz mais segurança para mulheres com fator sanguíneo Rh negativo no parto

Você sabia que, no momento do parto, devido ao contato com as hemácias fetais, algumas gestantes podem acabar contraindo a doença hemolítica do recém-nascido? Isso acontece quando os tipos sanguíneos são diferentes – a mãe tem o Rh negativo e o bebê é RH positivo. Para evitar que isso ocorra, logo após o parto, as mulheres Rh negativo normalmente recebem uma dose de imunoglobulina anti-D.
 
"No entanto, uma única dose não é suficiente em alguns casos e, muitas vezes, a mulher precisaria receber uma dosagem maior para a correta prevenção da doença ", explica Alex Freire Sandes, médico da Hematologia do Fleury Medicina e Saúde.

Para contornar essa situação, o Fleury lançou um exame inovador chamado “Quantificação de hemorragia feto-materna por citometria de fluxo”. Ele revela a real quantidade de hemácias fetais no corpo da mulher, possibilitando calcular a dose adequada de imunoglobulina anti-D que deve ser ministrada após o parto.

Para mais informações sobre a “Quantificação de hemorragia feto-materna por citometria de fluxo”, entre em contato com a nossa Central de Atendimento 24h pelos telefones 3179-0822 (Grande São Paulo) ou pelo 0800-704-0822, se estiver em outras localidades.