<iframe src="//www.googletagmanager.com/ns.html?id=GTM-TV7W9T" height="0" width="0" style="display:none;visibility:hidden">< />iframe>

Prevenção ainda é a maior arma contra a Aids, alertam especialistas do Fleury

 
Na última terça-feira (1º), para celebrar o Dia Mundial de Luta contra a Aids, os infectologistas do Fleury, Dr. Celso Granato e Dra. Carolina Lazari falaram sobre prevenção, tratamento, testes e perspectivas de cura da doença no Periscope.

Durante a transmissão, os médicos informaram os dados mais recentes da Aids no Brasil. O mais preocupante é o aumento de casos de infecção por HIV entre os jovens.

“Existe uma falsa ideia de que a Aids está controlada. Realmente, houve muita melhora em relação ao que era no início, quando a doença surgiu. Mas ainda há muita transmissão e os números ainda são alarmantes”, afirmou Dra. Carolina.

Segundo os especialistas, do início da epidemia, em 1985, até junho deste ano, foram cerca de 800 mil casos de Aids diagnosticados e notificados pelo Ministério da Saúde. No entanto, estima-se que há entre 150 e 200 mil casos de pessoas que estejam vivendo com o HIV sem ter o conhecimento disso.

Para a médica, a situação é duplamente perigosa. “Primeiro porque a pessoa que não tem conhecimento do seu diagnóstico tem uma chance muito maior de adoecer, de manifestar a doença, porque não faz o tratamento adequado. Além disso, se a pessoa não se trata, tem uma quantidade de vírus muito grande no sangue, o que facilita a transmissão para pessoas não infectadas. O diagnóstico é importante do ponto de vista individual e de saúde pública.”​

​​​​​